FEEDBACK


FEEDBACK

Sobre a longa distância entre o discurso e o exemplo.

Parece incrível, mas ainda acontece. Muitos profissionais, valem-se de teorias para seus liderados, mas como líderes, ainda utilizam o poder sobre a influência.

Em nossas análises para o desenvolvimento de Programas de Treinamento Comportamentais nos deparamos constantemente com o grande desafio dos Gestores e Líderes para influenciar pessoas na busca dos resultados e aplicar o famoso Feedback.

Isto ocorre devido ao desconhecimento ou uso incorreto da técnica, pela falta de hábito na aplicação, ou até mesmo pelas crenças de que Feedback estraga a pessoa ou que ele não fez mais que a obrigação.

Feedback é informação e tem dois objetivos básicos:

Por ser ferramenta que estimula a automotivação, deve ser aplicada de maneira sutil. Portanto deixamos aqui algumas dicas:

É PRECISO ELOGIAR OU CORRIGIR A AÇÃO, E NÃO A PESSOA!

01 Para o Positivo, quantifique e qualifique os resultados. É importante ressaltar os benefícios, números, valores, trazidos para a Empresa/Departamento/Setor atingidos pela ação do profissional – Lembre-se de que é a ação do indivíduo que vai ser elogiada. O elogio vem quando os resultados superam o esperado e deve ser aplicado de imediato. De nada adianta elogiar quando ninguém se lembra mais do que aconteceu... 02

Para o Corretivo, reserve um local adequado, (não crie um matadouro...). Inicie reconhecendo os pontos positivos e os esforços, contextualize mostrando o que era esperado e o que realmente aconteceu, questione e envolva o profissional na correção e defina os passos para a solução do problema.

Aplique os dois com empatia e comunicação assertiva. Cuidado com o não verbal (posturas, olhares e caras e bocas inadequadas) e lembre-se que influenciar é argumentar de uma maneira que desperte no outro a vontade de alcançar os objetivos pela sua vontade própria. Grande abraço do Giba e PSFA+